A Garganta da Serpente
Veneno Crônico crônicas
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Acerca do egoísmo

(Jorge Humberto)

O egoísmo é a pouca ou nenhuma valorização que uma pessoa dá a si própria, consumindo-se gradualmente e vivendo sozinha mais o seu péssimo sentimento. Quem é egoísta só pensa em si, os outros não têm valor nenhum para essa pessoa e sorriem sarcasticamente na nossa cara. Ser egoísta é não saber dividir as coisas boas da vida com as outras pessoas e no entanto julgam que elas é que estão correctas. Egoísmo é o egocentrismo levado ao excesso, narcisistas por natureza passam horas ao espelho a contemplar-se e a julgarem-se os melhores de todos. Se o mundo fosse menos egoísta não haveria tanta fome nem guerras desnecessárias e incompreensíveis como são estes dois exemplos de itens sociais.

O egoísmo faz a pessoa irracional e seu pensamento só está dirigido para si e para o seu umbigo, achando as outras peças como estando a mais no seu tabuleiro de xadrez, com que jogam frequentemente, regozijando-se com as suas vitórias irreais e infundamentadas.

Egoísmo vem da má educação dada pelos pais, que cedem às birras dos filhos para conseguirem a sua atenção momentânea, pois quem é egoísta é desrespeitoso e solitário no seu âmago. Ser egoísta é ser falso e falsear na palavra dada ao outro, sem se importar com as consequências com o mal que estão a causar a essas pessoas, que acreditam piamente na mentira do comodista. Acreditam na sua esperteza para dar a volta às situações, e o egoísmo sai-lhes aos borbotões de sua garganta e de sua alma impura. O egoísta não tem interesse em manter boas relações com os demais, pois que só eles se bastam. Masturbadores activos fazem de sua má génese e de seu mau sentimento um momento de gozo que perdura, quanto mais egoísta se é. Egoísta não dá a sua vez a ninguém e dá-lhes um prazer inusitado o mal-estar das outras pessoas.

Zelando apenas pelo seu parco bem-estar tornam-se irascíveis quando os contrariam e não fazem a sua vontade. Naturalmente são pessoas mal-educadas e fazem disso o seu brasão marcado a ferro em brasa na sua carne putrificada e inodora. Tratando apenas dos seus interesses ficam extremamente incomodadas quando os outros lhes dão pareceres, com a melhor das intenções. Afirmando-se perante si próprias como as mais correctas, nem se apercebem do mal que causam às outras pessoas, quando enveredam pelo egoísmo como o seu modo de vida. Que ou quem é amigo de suas comodidades leva peito o julgarem-no iníquo.

Não escutam ninguém e são favoráveis ao mal dizer, do qual fazem jus e princípio activo, como o bem pouco que lhes resta, que é o que têm para apresentar aos seus vizinhos e amigos. O egoísta é hipócrita e severo no trato com os outros, não lhe importando o mal que possam estar a causar aos demais irmãos. Egoísmo é uma doença de carácter que, só passando por várias agruras nesta vida, tende a mudar o seu comportamento, ou não, dependendo de indivíduo para indivíduo. O

ser egoísta julga que os outros são sua propriedade e fazem uso dessas pessoas, como quem troca de camisa sem se importar com a impressão das pessoas atingidas, pela sua má fé. Tem de se erradicar o egoísmo para que possamos ter um mundo mais justo e sadio. O egoísta é cínico.

(25/07/10)

  • 902 visitas desde 10/08/2010
Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente