A Garganta da Serpente
Veneno Crônico crônicas
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

A maldade em pessoa

(Jorge Humberto)

Mas o pior de tudo, é quando certas pessoas, já
têm uma real propensão, para o mal.
Como sempre, conhecedoras, desta sua ignóbil,
maneira de ser, começam por ser simpáticas,
humildes, e, sempre prontas, a mostrar-nos, que
podemos contar com elas, para tudo, ajudando
a quem precisa, quando mais não fazem, do que,
pela retórica, irem preparando, subtilmente,
as suas futuras vitimas, aproveitando a credulidade,
das pessoas, que, em si, não guardam maldade alguma.

A diferença é como da noite para o dia, e, pouco
lhes importa, a quem dirijam sua indiferença,
assim, seu pedestal de barro, alcancem, seja lá
de que maneira, o consigam conquistar,
ignorando de vez o subtil, pelo engano descarado,
mostrando sem qualquer pudor, a verdadeira faceta.

Verdadeiros monstros, sem valores alguns, tão
pouco, alguma réstia, de humanidade, qual verme,
rastejando, por debaixo da terra, vão começando
por minar, a auto estima das pessoas, incutindo-lhes
a sua vontade esmagadora, que foge a qualquer
realidade, passível de compreensão, exigindo dos
outros, a aprovação, pelo medo e real apreensão,
de represálias, por parte de gente totalmente doente.

Para eles, uma pessoa, não passa de um instrumento,
a ser usado, a qualquer instante, para suas loucuras ou
fetiches repugnantes. Onde, em primeira instância,
sempre está o sexo em grupo, tentando, dessa forma,
esquecerem-se, de que, nesse aspecto, não passam, de
indivíduos reprimidos, ou, como eu sempre digo,
simples masturbador passivo.

Mas, escutem! Leiam sempre, nas entrelinhas, das frases!
e atentem, na entoação, de cada palavra, dita ou escrita.
Que bem fácil é descobrir, uma pessoa má… garanto-vos.

(15/05/09)

Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente