A Garganta da Serpente
Veneno Crônico crônicas
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

ANTICÉPTICO

(Jorge Gomes da Silva)

O caçador de tesouros julgava-se céptico. Por isso ignorara a maldição que se dizia pender sobre quantos tentassem aceder à fortuna que uma aia de Maria Antonieta escondera, poucos dias depois do início da revolução francesa, numa arca de metal. Nenhum outro ousara aventurar-se nas entranhas do galeão naufragado em busca de algo que até poderia nem existir. Mas a ambição desmedida e os excelentes dotes de mergulhador inspiraram-lhe a confiança necessária. O cepticismo tinha limites...

Descobriu a parede falsa sem dificuldade, bem como o pequeno orifício encimado por uma tabuleta que dizia "La téte" e onde apenas cabia a dita. Enfiou-a a custo pela abertura e viu de imediato a velha arca corroída pelo tempo. Chamou-lhe a atenção uma placa junto ao cadeado. Puxou-o para si para decifrar a mensagem de aviso: "desligar mecanismo antes de...".

A lâmina da guilhotina atingiu-lhe a nuca nesse instante.

(23/10/2000)

Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente