A Garganta da Serpente
ajuda
 
 
  versão para impressãorecomende esta página
Dalva Agne Lynch saiba mais sobre o autor

Sobre o ser humano
(Dalva Agne Lynch)


Quem deseja tudo o que possa tirar da vida é, socialmente falando, um inútil . A pessoa útil ACRESCENTA à vida - o parasita tira tudo o que pode.

Quem aceita a realidade como ela é, aceita por uma de três razões: um, porque a realidade deles é despreocupação e curtição, enquanto outros batalham e trabalham; dois, porque são acomodados; três, são masoquistas. O homem de valor é guerreiro, e não aceita as coisas como elas são: ele batalha para que elas mudem, e para o bem de todos.

É impossível aprender uma lição de um erro sem sentir o peso da culpa. Quem deixa os erros escorrerem pelas costas como água em pena de pato NUNCA aprenderá a não repetir o mesmo. É a convicção que torna o homem diferente dos animais, não o condicionamento pavloviano. O imbecil é como os animais: só não faz algo porque pode se dar mal. O homem superior não faz algo porque sua honra e dignidade não suportam o peso de uma consciência pesada.

Ninguém aprende lições de vida dando risada. Todas as maiores lições dos Mundos Superiores são precedidas por ordálias, que mortificam o espírito. Quem não aprende a sentir as grandes dores, mesmo que não sejam as suas, jamais ultrapassará a superfície.

O homem superior encara de frente o que lhe aborrece, e, se é algo sério, faz de tudo para mudar a situação. Ele não é avestruz, que esconde a cabeça num buraco para não ver o que não gosta, nem um covarde, que foge da batalha.

O homem incapaz de se aborrecer com a estultícia, com a crueldade, com o abuso - é um insensível egóico, egocêntrico, egoísta.

Os espíritos superiores sempre se preocupam e se angustiam com a mera existência, procurando um nexo e uma resposta, até encontrá-la. A ciência não evoluiu porque homens "se afetaram levemente" com as coisas, mas porque mães desesperadas pressionaram cientistas a descobrirem curas, homens desesperados procuraram transcender o óbvio visível.

Viver o "aqui e agora" faz com que as pessoas destruam seus lares, acabem com o futuro dos filhos, destruam nações e culturas. O homem superior não vive apenas para o instante, mas vive acima do tempo. Ele constrói não apenas para o prazer próprio, mas quer um mundo melhor para as crianças que vivem no mesmo globo que ele. E, sim, A VIDA JÁ VIVIDA NAO É APENAS VIVIDA: ela deve servir de lição para tudo o que virá à frente.

No amor maior não existe independência. NINGUÉM que teve filhos é independente. NINGUÉM que se une a outro é independente. Cito Éxupèry: "Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas". E vou mais adiante: sou responsável por todas as crianças que estão ao meu redor, por todo aquele mais fraco que eu que está ao meu alcance proteger. AMOR É MÚTUA DEPENDÊNCIA: dar e receber.

Para que uma pessoa possa viver para curtir a vida, outra precisa arcar com todas as responsabilidades. Alguém mais vai cuidar dos filhos, do cachorro, do gato, dos empregados.

É impossível ter auto-disciplina e ao mesmo tempo viver para só curtir a vida. A essência do herói não é ser "bon vivant", mas a preocupação com os assuntos do mundo e a dor pelos contrastes.

Ao contrário do que se pensa, ninguém está satisfeito com a própria imagem, a menos que seja um egóico sem medida. Nem mesmo uma super model ou um garotão de capa de revista gosta de si mesmo.

O homem superior é responsável PELO MUNDO, não só por seu próprio mundinho ínfimo.E se as coisas não estão como devem, ele fará tudo a seu alcance para mudá-las.

Só mentes estreitas nunca sentem tédio. Tédio é a inércia que vem antes do empurrão da criação. E se o homem está sempre ocupado, ele não tem tempo para ponderar, meditar, medir as situações e as opções de ação.

Todo homem superior tem medo de falhar. Quem não tem medo é porque é burro demais para medir as possíveis consequências. Um herói não é aquele que não sentiu medo, mas o que continuou à frente APESAR DO MEDO.

É preciso experienciar TODOS os sentimentos negativos para aprender a vencer.

A síndrome de Pollyanna é uma mentira. O homem não está no mundo para ser feliz, mas para aprender a amar. Estamos em uma escola.

598 visitas desde 17/05/2010

   
 

Abril, o Mês da Esperança

Honra e Dignidade

A suposta força do destino

Deponho As Armas

A linguagem mágica das runas

Rosh HaShanah

Nossas guerras de hoje

A mágica do poder

Bipolar: a mente diferente

Discussões sobre a verdade universal

Crises - dizendo o óbvio

Alma Gêmea - uma história de amor

Sobre o ser humano

Mudar o mundo

Re-ligare - a busca pelo transcendental

Você não sabe

Tenha coragem!

Minha história de Natal

Mensagem para o Natal

Thanksgiving - O Dia de Ação de Graças americano

De Cazuza à mentira dos ídolos

11 de Setembro

Halloween

 

Copyright © 1999-2013 A Garganta da Serpente
Direitos reservados aos autores  •  Termos e condições  •  Fale Conosco www.gargantadaserpente.com