A Garganta da Serpente
Veneno Crônico crônicas
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

É tempo de Natal!

(Arneyde T. Marcheschi

Solidão é um grito que ecoa inútil na multidão.

Todos passam apressados sem tempo de olhar para os lados, e ver o sofrimento do irmão, que procura um pouco de amor de carinho e ternura.

É a esperança de um sorriso,de um rosto amigo na multidão que passa apressada, e nem vê a lágrima que rola...

a espada cravada no peito o correr de abraços abertos para o vazio em busca do nada.

É a dor que não alivia o coração dos homens desesperados, desventurados, que deixaram suas família, suas casas, e vieram para a cidade grande em busca de trabalho.

Mas essa luta danada sempre termina em nada e a desesperança toma conta dos que vivem pelas calçadas mendigando um cobertor, uma camisa velha um pedaço de pão.

Vamos festejar o Natal, nossas casas enfeitadas arvores cheias de presentes...

Ninguém lembra que ali ao lado mora um coração solitário abandonado a propria sorte...nem sabe que é noite de Natal!

Saiamos do nossso conforto e vamos procurar agradecer à Deus,pelo dom de nossas vidas,atendendo a um apelo desesperado de um também filho Seu, nem que seja para lhe dar um abraço cristão.

Mostrar que a solidariedade ainda vive em nossos corações.

(Vitória.E.Santo 17/12/2006)

  • 2211 visitas desde 19/12/2007
Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente