A Garganta da Serpente

Sidiney Breguêdo

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

O jumento

Um feto
De abutre
Atrelado a um cachorro
Mede esporro
Com gergelim e paçoca
Não vá
No solo da outra oca
Se trocar.
Índio bom não mata
Não
Ele tem outra razão
Para ser
O instantâneo
Duma fotografia grávida.
Colinas de pensamentos
São gostosas
De subir.
Tratemos com zelo
As idéias
Sobre política
No cabeleireiro,
Mas não deixemos
De gritar
Para dentro
Da falta de ar
Que nos sufoca
Em outubro.
Trocarei todas
As lâmpadas do cérebro
Para clarear
As idéias,
O pensamento
É um jumento
Um jumento
Um jumento.

(Ceilândia 2010)

(Sidiney Breguêdo)


voltar última atualização: 19/04/2017
721 visitas desde 19/04/2017

Poemas deste autor:

Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente