A Garganta da Serpente

Luiz Reis

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

NÃO SEI O QUE FAZER AGORA
E MUITO MENOS AMANHÃ
NÃO MEDIR CONSEQUÊNCIAS
NÃO MAIS SUPORTAR TE OUVIR
SAINDO FORA DAQUI
NAS RUAS MAIS AMPLAS VAGAR
LONGE DE TUDO
EM CADA POUSO
FLANAR
NA INTENSIDADE
DE QUERER
ENCONTRAR
-CONTRAMÃO-
O QUE NÃO SE PREVIA
E MOTIVA BROTAR
UM SORRISO


(Luiz Reis)


voltar última atualização: 10/05/2017
9365 visitas desde 24/03/2007

Poemas deste autor:

Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente