A Garganta da Serpente

Luiz Reis

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

PÓS-FIGURA
POESIA EM
MARCAÇÕES SEGURAS
IMPRESSÕES FIXADAS
DATILOGRAFA PESO
ESTREMECE LÂMINA CORTANTE
SÍLABA SIBILA
CORROENDO ENTREDITO
PARA CLARIDADE DO CERRADO
ARMAZENADO ÂMAGO INVERSO
TRANSGRIDE
SUORES DOCES
DO SOL ARDENTE SALIVA
ESSAS VIAS RETAS
CORTES TEMPESTUOSOS QUE
SULCAS DÍNAMOS


(Luiz Reis)


voltar última atualização: 10/05/2017
9358 visitas desde 24/03/2007

Poemas deste autor:

Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente