A Garganta da Serpente

Louis Alien

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Em pele alheia

quantas mães pode ter um homem
e com todas elas aprender?
experiências pessoais que ninguém além pode saber.

o Mar golpeia a Terra dia após dia incessantemente,
durante o Dia é frio, mas sempre quente ao cair da Noite.

todos queremos um lugar ao sol,
confirmando tudo em sua Luz dourada.
mesmo odiando seu calor,
queremos a conquista do canto próprio alcançada.

quantas amadas pode ter um homem
e por todas elas ser compreendido?
estórias escondidas nunca à prova de imprevisto.

espuma sumindo em ondas quebradas
sons incômodos de idéias abandonadas
ruídos cômicos de aberturas fechadas
o enfim saber crônico da Vida deslocada

quantos nomes pode ter um homem
e fazer o Mar reconhecê-los todos?
problemas tolos não devem tornar-se adorno

então quantas mentiras podem ser contadas
quantas contam-se por si mesmas?
questões em folhas vêm sempre em resmas

se a maré baixa aumenta a dor
se o nível sobe descemos sem pudor.

(Louis Alien)


voltar última atualização: 06/11/2008
7164 visitas desde 06/11/2008
Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente