A Garganta da Serpente

André L. Soares

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

VERBOS, POR TI

Revelar-me, somente ante teu beijo,
dócil ato que espero, em desespero,
pois meu corpo te aguarda, novamente,
na distância de alguma madrugada,
para tomar-te em meus braços,
linda amante...
sem limites, sem tempo, sem ressalvas.

Dominar-te suave, cravando dentes
nessa pele em que já eriçam pêlos,...
e se as mãos limitam teus movimentos
liberdade te chega por entre orgasmos...
para fazer de ti, a minha mulher,
loucamente...
a andar sobre os meus rastros.

Saciar-te os desejos mais ousados,
batizar novas loucuras com teu nome,
de tua carne jamais sentir-me farto,
aos teus olhos ser rei, teu deus e homem...
tendo sempre em teu amor
meu horizonte...
fonte eterna de augusta felicidade.

(09.11.06 - Guarapari/ES)


(André L. Soares)


voltar última atualização: 16/09/2007
10259 visitas desde 16/09/2007
Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente