A Garganta da Serpente

Aline Aimée

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Rompante

da cara caem-me os sentidos
teimam em refugiar-se de mim
do eito, sufocando, ao leito
amordaçamento de marfim.

qual glóbulo que em fervente açoite
estoura o aneurisma sem menção
Anima rasga a pele, faz arroubo
rompe o vácuo, rompe a ordem, dá vazão.


(Aline Aimée)


voltar última atualização: 19/04/2011
15006 visitas desde 19/04/2011
Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente