A Garganta da Serpente
Resenhas dos Répteis releases, resenhas e críticas
Texto de:
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

A história de Edgar Sawtelle
- Um livro de David Wroblewski -

Para um autor que debuta na literatura, a expectativa para com a aceitação da crítica e do público é um momento angustiante. Entretanto para David Wroblewski parece que não foi. Seu livro de estréia, A história de Edgar Sawtelle (The Story of Edgar Sawtelle, tradução José Rubens Siqueira, 528 páginas), lançado por aqui pela Intrínseca, é um surpreendente romance, pelas ótimas criticas que recebeu dos principais jornais, como também das palavras que o recluso autor de suspense Stephen King disse, em entrevista sobre o livro "(...) Maravilhoso, misterioso, longo e prazeroso: leitores que escolherem (...) entrarão em um mundo mais rico. Invejo a viagem que farão. Eu não releio muitos livros, porque a vida é curta demais. Vou reler esse".

Numa linguagem lírica e com um enredo inusitado, amparado em torno do clássico de Shakespeare, Hamlet, o livro de Wroblewski adquire rapidamente o seu próprio caráter original, em evocações fortes e poéticas entremeadas na narrativa da vida de um menino mudo no interior dos EUA.

A história se inicia com um prólogo bem desconcertante, tingido pela ameaça de um veneno mortal, que um jovem soldado consegue na Coréia, preparando os leitores para uma narrativa mágica sobre a infância, o amor e com os mais sinistros elementos da vingança. O protagonista do romance é um adolescente de quatorze anos, Edgar Sawtelle, que mudo de nascença só se comunica com bilhetes. Sua família é dona de uma fazenda remota no Wisconsin, onde seus pais são criadores de uma raça de cães tão rara e difícil de definir que gradualmente, devido há gerações de criadouro, se tornou conhecida como os cães Sawtelle.

Vive sossegado, apesar da deficiência, seu talento especial em se relacionar e treinar com os cachorros, surpreende cada vez mais seus pais, Gar e Trudy. Tudo ia muito bem, até a chegada de um tio, Claude, os confrontos dos dois irmãos e a morte repentina de seu pai. Logo o tio conquista a simpatia da mãe, e Edgar se vê envolto num clima sinistro, seu mundo mudo para sempre. Principalmente, numa noite, quando recebe a visita do fantasma do seu pai, descobre da forma mais sombria o que realmente aconteceu e após a tentativa falhada de provar o envolvimento do tio na morte do pai, decide partir. Três cães são sua única companhia e alento. Escondido na floresta, Como o Mowgli de Rudyard Kipling amadurece.

Contudo, o amor à mãe e aos animais, e a sede de vingança, levam-no de volta a fazenda. Só que nada é como esperava e Edgar terá de decidir entre a vingança e a preservação do que sua família construiu. Notamos os elementos shakespearianos e o confronto final, amargo e dramático, é detalhado com uma vivicidade cinematográfica por Wroblewski.

Mesmo com algumas características muitas detalhadas e repetitivas, o trabalho do autor é suave e cativante, muito bem estruturado. A construção da história demorou dez anos, onde a coerência do texto e uma página em branco são meros coadjuvantes na arte da possibilidade de criar do escritor.

No fim de tudo, os cães de Edgar é quem fazem o show, as qualidades antropomórficas, que seguem a linha de Mowgli, são extremamente convincentes. Em entrevista, o autor explica que cada um deles tem um caráter inexplicável: "um incremento de comunicação, compreensão e habilidade" que ajudam à história de um menino mudo ficar muito mais atraente e impressionante.


A história de Edgar Sawtelle
Autor: David Wroblewski
Tradução: José Rubens Siqueira
Intrínseca
528 páginas
2008

131 visitas desde 19/04/2017


Quer outra dica de livro?