A Garganta da Serpente
Ouroboros poemas sem fim
ATENÇÃO: devido à invação de spammers, os poemas sem-fim estão temporariamente bloqueados para novas contribuições. Pedimos desculpas pelo transtorno.

VENENO


A boca maldita
buscava o corpo (A Garganta da Serpente)
e o corpo invisivel
buscava a boca maldita

Entre trovas, trevas, travos e traves vai se construindo
o poema   (claudio terças)
Dentes obscenos lançam venenos
Nas minhas veias podres
Que prazer!
Entro em transe
Meu cérebro se dilacera
Palavras à minha mente
Obrigado serpente
Por esta última quimera   (Marcel Vieira)
DAÍ QUE É DE UM CORPO QUE FALAMOS,
DENSO, REPLETO NOS HUMORES E OFÍDICO
UMA SERPENTE NO SEU CORRETO PENSAR, COMO ILHA CERCADA DE PESADELOS, COMO UMA PONTE PARA LUGAR NENHUM
COMO UMA ESTRELA, COMO UM SOL GANINDO E MORRENDO EM TODAS AS RADIOFREQUÊNCIAS
COMO UMA MULHER IMEMORIAL, A QUEM SE TOCA COM A LÍNGUA O SEIO
E DE ONDE SE RECOLHE O SAL ESCONDIDO, ATRAVÉS DE BILHÕES
DE CAMINHOS ENZIMÁTICOS

MURASAKI

UMA DEUSA-MÃE PLANANDO NA PEDRA, CIOSA DE SUA TRIBO, COM SANGUE EM DERREDOR
COMO UM VASO JOMMON COM A PÁTINA DOS MILÊNIOS

É DE ALEGRIAS COMPARTILHADAS E DE TARDES SUBMARINAS QUE FALO

A SERPENTE PERMANECE
BUNDA EM OIROS, BOCETA UBÍQUA, JEZEBEL NO FAST-FOOD
   (MARCOS DE FARIAS)

E AINDA, A PELE
ESCAMOSA, LÍQUIDA, DÚCTIL
E A BOCA, RECREIO DE MIL ANOS PARA SHIVA DANÇARINO
RETA, EXATA, COM UMA LÍNGUA BÍFIDA SUSSURRANDO PALAVRAS EM TRAMA:
O CRESCENTE É A ÁRVORE DA VIDA. GERMINA E AO CRESCER SE ACUMULA DE COISAS VIVAS
SOU A QUE FUI NA AURORA, ENTRE A TRIBO, DEITADA EM MEU CANTO

E A SERPENTE RI EM CASCATAS FENDIDAS
   (MARCOS DE FARIAS)
Protejo-me da sua boca feroz
Que apraz o veneno do amor
E domina-me o instinto...   (Joildes Freire de Sousa)

CAI A NOITE
E SÓ ISSO JÁ É O BASTANTE

A serpente tem pesadelos:
Fadas verdes morrem neste sonho, em explosão de borboletas
É verão agora
A lâmina translúcida do céu
Se mantém serena
É uma noite bonita e azul
   (MARCOS DE FARIAS)
Uma noite que não se pode esquecer,
duendes e gigantes dançam em volta do fogo eterno...
a serpente dorme, as fadas verdes,
já não são mais que uma mera ilusão criada pelo seu próprio veneno...
uma chama gelada desce dos céus...
a serpente acorda, olha para seu reflexo na água...e hipnotiza-se a ela própria...   (Carlos Palmito)
Entre trovas, trevas, travos e traves vai se construindo
o poema    adalia dos reis
Seus olhos brilham em infinito delírio,
Contorcendo-se em obsceno frenesi,
A serpente em transe se agita,
Sem controle de si...


   (Anton di Lucca Tortoro)
...incontrolável aterro-me nesta escuridão,
procurando algo...

...acho a solidão,
num dia tenebroso,
me imcomodo com a luz
no meu andarilho assombroso
só encontro pessoas nus...

...fim, solidão
profundidade sem chão
e agora?...


...nnnnãããooo!!!
   (Diego (¢åñgøó))

e então chegamos ao fim do tempo
lá onde nos espera o mistério
lá onde onde tubarões sobrevoam medos e pesadelos
hoje a serpente. permanece
comemorando o aniversário da pedra,recebendo o mensagem última do silício para o carbono
hoje é um dia bonito e azul
onde comemoro meus vinte e dois anos de tempestade ofídica
lá onde minha mãe preparou antes o caminho
lá onde eu permaneço como um selo, de saliva pendente e a boca do tempo e a minha
sou uma loba,
sou a mulher de três seios que alimentou a tribo    (MARCOS DE FARIAS)

sou Tiamat, a primeira mãe
sou Tiamat, a q   (MARCOS DE FARIAS)
sou a Tiamat, a primeira mãe
traída por Marduk, invocada em um ritual

a do anjo guardião, sobra da magia de Abra-melin

e permaneço,
untuosa e fútil
umas das três mulheres de De quincey
plácida no seu oco e agora desidratada

eu trago toda um evangelho entre minhas presas   (MARCOS DE FARIAS)
Seus versssos tão essscorregadioss...As labaredas de suas presas nos condenam. Estamos nus e frios, à mercê do hálito incandescente. Doce é o vento que nos abranda. O veneno brilhante, qual uma aurora nunca vista...
Bramir o gládio desta morte vã! Lapidar a própria tumba, cotorcendo o pesadelo até que ele possa preencher a margem de sua origem... Serpentear ofuscado pela redoma nera do abismo...
Oh! Escravidão dos sentidos, lepra da suprema sabedoria, contentamento no largo divã da devassidão.
Lamentamos o destino rastejante, mas hesitamos quanto a dar o bote. Ao contrário, a jibóia do destino nos comprime ao ponto de cravarmos as venenosas presas no nosso próprio rabo.
Resta-nos a claustrofobia das conclusões que se arrastam como tapetes pontiagudos sob as escamas dos nossos sonhos.    (Laura Louise Richardson)
Serpente...

Com o meu corpo gelado percorro o teu pescoço
como quem te quer acariciar
Ai eu aperto os meus anéis e dou-te o beijo enterno e gelado que te sufoca.
Confias-te em mim...
Deste-me uma hipotese...
Foi esse o teu erro.   (Luis Daniel David)
A Garganta estava doendo, de amor ou de ódio... talvez por que esse tal amor nunca existiu...    (Thiago Mourão)
Linda e capaz de impenotizar sua preza seja ela quem for...
Como um enquanto ela vai se Surgindo e quando voce estiver destraido um leve encanto acontecera.
Linda mais perigosa Serpente
atacadondo somente para se defender daqueles que se julgam ser donos do Ceu e da Terra .   (Jonas Henrique Moreira)
Ah, se tu estivesse aqui neste momento...
Deixaria teus braços enlaçarem meu corpo,
Tua boca vir de encontro à minha,
Teus olhos me guiarem....
Seria teu da maneira que quisesses,
Da maneira que desejasses ....
Porque só tu és capaz de fazer sonhar,
Tua imagem me enfeitiça.....
Sou capaz de ceder à todas as suas vontades
Sem questioná-las,
Porque perto de ti não sou dono de mim,
Sou simplesmente teu...
   (Antonio Carlos Rodrigues)
Partes solenes de nada azul,
E mapas marcam com dor
Certas cavidades de estar-se nú:
A estéril mordida do amor...   (Rogério Florentino Pereira)
Consome, corrói, queima,
Derrete em mim teu veneno...
Destrói teu desejo...
Exerce comigo tua volúpia...

Mata-me de ardor / amor / tesão...

   (Pirata)
Tudo em ti é veneno. E veneno que mata.
Teu bejo é um veneno. Tua presença é um veneno. Vc é perigoso. Vc é uma serpente.
Veneno que envenena, vaneno que atormenta. E sem vc, sem seu veneno, não há vida.Rogo-lhe: Continue a me envenenar.
Me envenene mais e mais. Faça seu veneno entrar em minhas veias, percorrer minhas arterias, entrar em minha mente.
Quando já tiver me possuido com todo esse seu fogo, essa sua magia, quando tiver cravado suas presas em minha alma, só então me leve. Me mate envenenada. Me mate Thiago.   (Aline V)
Pode deixar... ti envenenarei até a morte...
ti envenenarei com toda minha paixão, meu fogo, meu amor por ti minha deusa....
envenenarei toda a sua alma com a minha alma venenosa... minha alma venenosa de loucura por você...
preciso ti envenenar para viver... você é a minha única vítima...
e será sempre a minha única vítima...
morreremos juntos... eu com minhas presas cravadas em você soltando todo meu veneno de amor para que no outro mundo nossas almas continuem sempre ligadas uma na outra...   Thiago M. K.
a garganta da serpente esta quebrada, ela nao sente nada, esta deitada no fundo preto do inferno que ela mesma sonhou pra voces, as almas vacias de fe, aquelaqs que nao querem lutar mais, aqueles que se deixam morrer, a garganta da serpente esta sem vida, porque voces estao dentro dela   (alberto aldana)
Grande e verde... de entranhas tão estranhas ao bem... ao mal...
Serpente estranhamente bela
Pródiga em promessas de poder
Credite quem quiser a ti o mal
Que veneno que destilas, afinal?
Se vives, como o medo alimento
No interior de cada ser?
Quem me dera ser, serpente
O amor que anula o veneno
O amor que por certo sentes   (Bada Castro)
Cobra, cobra, cobra
Cobra, cobra, cobra
Cobra, cobra, cobra
Cobra, cobra, cobra.   Anônimo
...Cobra esverdeada, cobra envenenada.Que penetra, que vive que emociona.
Faz sofrer, faz viver faz sonhar.
Enrosca,deslisa sob minha pele em movimentos alucinentes.
Delírio, paixão...   (A.V)
Fogo na alma, no corpo, fogo de veneno...
Que sobe, que desce, percorre.
Não há palavras, não há versos
nada explica a intesna erosão corporal
Da paixão, do amor, desse veneno tão bom   (A.V)
veneno que quando penetra arde como fogo... arde tudo... entra queimando pela pele percorrendo todo o corpo e chegando finalmente no coração... veneno esse que um dia descobriremos que é paixão misturada com amor... que poucas pessoas tem.... e que eu... tenho o mais forte "veneno" pela mulher q eu amo e amarei eternamente... e quero que todos saibam disso... que o mundo inteiro saiba o quanto eu ti amu minha divina amada A.V.!!!!   (Thiago M. K.)
Sou Paixão a SERPENTE grande grossa que te alucina de TESÃO...   (paulinho filho)
É com o veneno do amor de uma serpente que se ama a vida ...   (Thiago Sales Mendes.)
Um mar de angustia,
Invade a mente.
Cuja solidão só se mede,
Pela imensidão da luz diária.
Passa onde o sol se põe,
A última alma solitária.
Viveu sua única emoção,
A beira de um oásis de dor,
Onde reina a escuridão,
Ao som de um dia sem cor.
   (Robert Hippye)
Numa visão contemplativa,
me pego admirando sereias voadoras e bruxas ninfomaníacas a caça de seus Dionísios
jogado no chão do jardim que ela secou na longevidade de seus 11Km com seu veneno herético afrodisíaco que me leva êxtases divinos
e que no amanhecer me deixou envolto e aquecido em escamas lúgubres e complacentes.    (Jim Bates)
Noite de luar

Chega a noite/
Em sua majestade/
A lua como uma rainha /
Vem saudar os enamorados/

A lua iluminando águas translúcidas/
Reflete,em leitos infames, meu amor eterno/
Iluminando esta pobre alma penosa/
Que padece pelas lembranças de uma desilusão/

A lua desaparecendo no horizonte/
Findando a noite prazerosa/
E os sonhos de um amante.../

Apenas um sonho...Foi lá que te encontrei.../
Se ontem por ti vivia- hoje por ti morro de dor/
Lembrando de um anjo,que um dia os lábios beijei.

OBS: isto é um soneto , as barras indicam uma quebra de linha(enter). Obrigado
   (Tatiane Moreira de Souza)
Eu bebo
à minha musa
que dorme tranquila
e nem sonha comigo...
Eu bebo aos versos perdidos
que correm aflitos
fugindo de mim...
Embriaguez, faça-te método!
Faça-me versos!
Faça-me amnésia!
Traga-me o sono!!!
Bebo mais um pouco,
ao amor que se perde
que se apaga num olhar
num eclipse em meu peito...
Por que minha amada
escondeste o Sol da'legria
de meu mundo apaixonado
quando eu mais precisava de luz???
pra colher-te novas flores???   (Fábio Insulter)
...eu me sinto negro
me sinto branco
...me sinto Deus
me sinto Diabo
...não sinto os pés
não sinto as mãos
...não sinto corações
não sinto almas
...efeitos colaterais
do drink
da cerveja
do vinho chapinha
do veneno
...que estava
na taça
na jarra
no copo
de plástico
...que era
teu corpo
que eram teus olhos
tua boca
teus lábios
...meu desejo
meu sonho
meu devaneio
...que bebi
traguei
embriaguei
...suicídio.   (Jim Bates)


À BELA LUGOSI

Por que ser poeta?
pra sentir o que não temos
pra falar do que não vemos
para ser o que não somos
pra viajar de onde estamos
pra voar em outros sonhos
...pra amar sem se apaixonar
...pra despir sem tocar
...pra suar sem transar
...pra sonhar sem dormir
...pra matar sem pecar
...pra morrer sem se matar

"e perguntou ao poeta:
- Por que escreve tais idiotices?
E o poeta respondeu do alto de sua insanidade:
- Tais idiotices são teus sonhos ocultos, teus pensamentos proibidos, teus desejos, teus amores,o que desejas ser e não é, por esconder-te atrás da exorbitante inteligência de ser comum.

"A morte escrita é mais doce e romântica que a real.
Você tem um depois. "

Namasteh   (Jim Bates)
E de onde veio tal devaneio,
Que me afastou tanto da serpente?
Sinto-me como presa, mas sei que sou a própria cobra.
Sou veneno,
E de minhas vísceras é expelida a razão da vida.
Meus olhos são sombras pérfidas, ilusões tétricas.
Minhas palavras são insanas.
Eu anseio pela morte,
e peço que venha como o veneno da serpente.
Veneno, porque não me mata?
E me livra da aflição terrível que me tomou,
quando descobri que hoje a morte baterá a minha porta,
e que ela não possuie compaixão para com os demônios...   (Hugo Pavan)
Demônios, haaaaa demônios que sempre, sempre povoarão a minha vida insana e vazia, vida que gostaria de ter perdido quando perdi tudo aquilo que mais amava na minha inutil existencia.... o seu amor, sei, sei muito bem que fui farsante e fui amante, mas para possuir-te, sentir teu corpo junto ao meu seria capaz de tudo...........    (Priscila)
Diga, é isso,diga o que pensas
O que antes insandecido
Agora inocentemente esquecido
Sinta,é isso,sinta o que vedes
Arredio e excitante
Findo e farsante
Faça,é isso,faças o que quiseres...
Antes velado...e agora
amaldiçoado!   (Thiago Bueno)
Antídoto para ressaca

A mulher de vermelho
molha as flores da passarela
e resgata o passo do pássaro
na manhã embriagada.
Dílson Lages - do livro "Os olhos do silêncio"   (Dilson Lages Monteiro)
silêncio!
Falarei de veneno agora.
Chuva fina por favor, e baleias em nado lento no fundo de mares de todo insuspeitados, no fundo de mares a trinte e seis graus celsius, no fundo de mansões submarinas onde Jonas e os justos possam comprazer em solidão aquosa e morna.
"quero descer aos mares novamente"...
Ah, eu te saúdo JAMES TIBERIUS KIRK!!!!   (MARCOS DE FARIAS)
NO PLANO DA TELA
A SOMBRA REVELA
O QUE A TUA RAZÃO
PERDEU NA PUNGENTE
LUZ DA DOR DOS DIAS...

SÃO FLORES - ORQUÍDEAS-
SÃO DORES - FERIDAS-
QUE INUNDAM TUA VISÃO
DE FORMA TÃO INGENTE.
A LÁGRIMA SELA

A PÁGINA LATENTE
QUE TRÁS AO PRESENTE
A IMAGEM QUE VIAS
PELA TUA JANELA
EM DIAS DE VERÃO.

NÃO É ILUSÃO.
É A TUA PAIXÃO;
É A ARTE QUE, ENTRE
FERIDAS E ORQUÍDEAS,
SE FAZ VIVA E BELA.
( ACNIK - ANDERSON )   (ACNIK)


...noite fria
refestelado sob a Lua
entre colchão e edredons
lambusado de batom
até os olhos
cheio de tristeza
até alma
olhar infinito pela janela
sonhando acordado
ensaios para suicídio...
   (Jim Bates)
Tic-tac, bate o relógio
o tempo passa enquanto,
pouco a pouco minhas veias vão se entorpesendo com aquele malígno veneno.
Passa o tempo passa a minha vida, nos meus pensamentos so restam sofrimento,
Minha alma sofre com a dor, com a dor do veneno que me traz a serpente,
Meus pensamento não mentem, estou quase no fim,a mercer da serpente eu deitado, neste imenso vazio rezo por mim...
(Profetas do iê-iê-iê)   (Rafael Voigt Leandro)
Sorriso grande expande o olhar desses meninos
Felinos, saltaM muros. Puros em selvageria
Experimentam a noite (bela mas fria)
A Liberdade, com pitadas de saudade do colo que não houve
Do brinquedo impossível - do brinquedo "deles" (os outros)
Em meio à dor, o gozo, o riso, o choro
Numa espécie de namoro com a vida(?)
Que às vezes encobre o pranto
Seguem, sem manto, sem leito ou respeito
Chegam por vezes a esquecer
Entorpecidos na cola, na esmola, sem escola
Da gente droga que lhe deu veneno
Que hoje lhes pesa.
Despreza um menino desses
A vontade de ser feliz?
De sorrir e de viver em paz?
Não. Entretanto não raro jaz, em meio às praças
O sonho doce.
E vive a sobra que é o que lhe sobra
Prá agüentar essa vida DROGA.
   (Bada Castro)
E no alto,um anjo voa pelo deserto..
Está a procura de algo, muito distante de seus olhos..
Procura o amor, sem sarcasmo, subversão, hipocrisia
Está cansado..
Voou muito além dos horizontes...
Em suas asas, câimbras... desilusão..
Está cansado.. seu corpo pesa demais..
De seus olhos, antes ressecados e trêmulos..
Caem agora lágrimas de sangue, enegrecendo sua visão..
Está cansado...
Seu corpo, lentamente pende ao chão...
Não resiste, cai...
Suas asas ainda batem, reflexo do desespero...
Está agonizando...
Faz lembrar uma criança amedrontada...
Paralisado, descrente...
Luta contra seu fim...
Luta pelo amor...
Em vão...
   (Luciano favaro)
grande foram as esperanças,
grande foi a tristeza,
pois a despedida, traz consigo
algumas mortes inevitáveis,
de belos sonhos tão sinceros,
de utopias tão singelas...
belas são as flores quando morrem,
agonizam lentamente
no cair da tarde tão pungente,
e nós?
com elas oque teremos
a nos comparar??
nossos sonhos!!!
morrendo aos poucos sem suspiros
num grotesco acordar resignado...
e adiante, mais sonhos,
mais lutas e mais lagrimas,
mas como fugir???
pra que fugir???
a lágrima nos delicia sempre,
num coquetel orgiaco
pelas esperanças que se despedem...   (Fábio Insulter)
Alimento ou veneno?
ou veneno e alimento?
Tentar até tento
em meio às mazelas,
Romper as cancelas
do pensar pobre
de pensar o veneno lá fora
e viver o veneno na mente
de explodir sonho alheio
na desgraça, devaneio, ilusão...
e o lobo do homem segue
espalhando seu desastre.
Corrompendo, desamando
e em seu desmando e desatino,
plantando o seu destino
de veneno... e que veneno!
Saber onde o alimento e o veneno?
E onde o intento venenoso
do lobo pavoroso do homem ?!   (Bada Castro)
Lobo-homem, não
Nem Eva, nem Adão
Homem-serpente, mulher-veneno
Combinações, sexo, pouco importa
Política do corpo idiota
Na cama, atrás da porta
Sílabasssssssssssssssss
Sociaisssssssssssssssss
Masturbação, poder mental
Grito de um rato indigesto
Pretendente a prato predileto
De um réptil natural
Engolido no inferno dos laços
Fugitivo resgatado nos abraços
Morto pelo veneno de ser
a própria serpente sem querer



   (Marcimedes)
Mesmo sem querer,querendo,acabou querendo sem querer...E acabou que se tornou uma serpente,que destruia os coraçoes adormecidos,por terem sido envenenados pelo seu proprio veneno maldito...   (Kyara e Tessia)
Filhos das trevas, crianças noturnas
Enfeitiçadas pelo imortal veneno maldito
Quem me disse que a serpente era a morte?
Quem me disse, que apareça, talvez seja a tal mulher de vermelho.
Envenena-me com sua boca, tua boca,
delicia-me com teus prazeres carnais, pecaminais, distorcidos.
Sou a vítima, o resultado imperfeito do nascimento
Sou envenenado, a criança prostituta e noturna, a filha ilegítima das trevas...   (Hugo Pavan)
Sera que existe mesmo alguma mulher de vermelho?Ou sera mais uma das alucinaçoes que tenho quando ouço de meu Pai,Lucifer,aqueles gritos que vem sido guardados dentro de um coraçao despedaçado...   (Kyara)
Tua alma completa a minha, seu sangue corre em minhas veias, como um veneno que atinge uma vítima...   (Diana A.B)
o amor é uma coisa amarela q nasce no portaum e termina na janela!
o amor é uma coisa roxa, q nasce no coracaum dos trouxa!
o amor é uma coisa inexplicavel, q devemos respeitar, mas o fogo do fiu-fiu é dificil de apagar!
o amor é uma coisa azul q nasce no coracaum e termina no c...........'!
o amor é uma coisa preta q nasce no coracaum e termina na bucet...............!   (shara)
Ah... o amor.

Viscoso veneno
que habita nossas almas.
Tênue alegria
que levamos entre os lábios.

A boca maldita continua
murmurando
o nome das sombras.

Deus nos observa
- atento
e isento.

O corpo cruel
exala meu desejo.
   (A Garganta da Serpente intervém em 05.12.2000)
Sou vítima de minhas próprias obseções! Consequências inexatas da podre matéria!   (Mascarenhas)
e minha podre matéria
converte-se em veneno
que fere meus neurônios
e pretende inromper
sobre todos
até que me chegue
o veneno divino   (Guilherme, o Errante.)
Destes-me tua alma,
teu corpo,
tuas palavras,
tudo que poderias arraigar-me de sonho.

Acreditei em ti
no sibilar suave de tua lingua
e ganhastes minh'alma.

No entanto,
tal qual, um veneno peçonhento
atravessou minha garganta e trouxestes
o que mais deleitei-me :
Prazer.

Um orgasmo.
Uma sensação translucida
de que tua lingua ferina
sugou todo meu corpo deixando-me estatico.

Um prazer.
Uma louca viagem alem
uma sensação de esquecer quem sou
e o que tive. Serpente, doce serpente.
   (Eduardo Vieira)
Fui ao sítio onde o barulho das ondas nos transporta para o infinito prateado pela lua mas só lá estava a memória nua...e as ondas sem chamavam-te...   (Laura Silva)
Busco um pouco do prazer à muito deixado,tento não me castigar e sob o céu de tormentas apenas eu...
Não me basta ser só.
Encaro meus pesares, o mau jeito de saber o que nos torna, apenas, humanos,insaciáveis.
   (Lucia G.)
Colho horrores em mim para atirar aos pés daqueles que me jugam, pobre e coitado...coitados dos olhos que veêm, cegos de hiprocrisia.
Não sou mais eu, sou um pouco do pavor que assola o as mentes daqueles poucos que restam.   (Lucia G.)
Horrores que atormentam o ser,
deturpan pensamentos,
sentimentos.
A carne podre,
da alma doente
faz cansar
desistir   daniel farah
Oh
vamos voar
me brace
vamos abrace-me agora
vamos voar...
Em algum lugar na Capadócia
ela pensa no Peter pan
e quando se prepara para dormir
pensa no livro que irá escrever
que tem no começo uma frase
"Abrace-me"
e por fim
"Abrace-me denovo...
vamos voar...
   Cérbero da Cruz
Abraça-me
para que possa sentir tuas garras rasgando minha carne
trêmula de tanto desejo
o sangue a escorrer pelas tuas mãos
misturando-se às tuas feridas
somos somente um monte
um pedaço de carne fétida e cruel
e nos amamos feito cães
na madrugada mais linda
a lua a nos tocar no rosto
e as almas a levantarem do túmulo
a dançar entre nossos corpos
se mostrando e nos querendo
Sim meu amor, somos mortos!!!
somos parte do que já foi
do que nunca mais será
somos seres disformes e insanos
buscando no amanhã o prazer do hoje
permeando as linhas mais finas da vida
poderíamos estar em qualquer lugar
viver mil vidas mortas
mas, somos mortos
fixos na terra que nos cobre
amantes de vermes malditos
sorvendo o veneno de todos os males
dilacerando a dor da perdida alma.   (Eduardo, o maldito)
Somos Veneno
Suco Gástrico
Um beijo ácido que
devora e silva
O grito de dor
arrancado por
presas finas
O Prazer luxuoso
de ser traiçoeiro
A Serpente peregrina   (Edson Dias Neves)
meliante...
trilhas como foices cortando o chão
lágrimas rastejantes
marcas da discórdia, solidão
escorrem...
o fim, o ódio, outras vidas sempre jogadas, sem asas, rastros de mentira,
ofidário. há morte
   (max miranda)
cade o chao que tanto procuramos cade a vida de todos,cada simples coisa vem de sima de baicho para nos acertar
para nos fazer de comida
assim nos matar nao por fora mas por dentro somos alimento    (Brabuleta)
O que é veneno de um, Senhor, é alimento ou bebida do outro.
(Beaumont & Fletcher)
Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente