A Garganta da Serpente
ajuda
 
 
  versão para impressãorecomende esta página
Leonardo Teixeira
saiba mais sobre o autor

Leitura na era do barulho
(Leonardo Teixeira)

Um dos últimos artifícios solitários para alimentar o espírito é a leitura. Quem de fato exige um canto de sossego para cultivar e se alimentar dessas letras encontra muita dificuldade na hora de se concentrar em meio a tantos barulhos da civilização. Pois a era do grito, do microfone e do carro de som, além dos apelos visuais, é constatada facilmente: basta abrir os olhos.

Na semana passada, comentei sobre a "polulixão" sonora, com o intento de bradar a nossa resistência ao frenesi que reverbera altos decibéis, deixando débeis inúmeras cabeças. Mas para o leitor conseguir seu canto mineiro de paz, e se concentrar num texto como este, pode ser que o leitor desenvolva um método de "foco único", quando se desliga de todas as atenções e fatos que o cercam.

A leitura já foi extremamente barulhenta. Antes do século X, o costume era ler em voz muito alta. Os lugares para a leitura, as bibliotecas e as salas de estudo eram uma zoada terrível. Quando apareceram as dicas do poder de pontuação; assim - pausadamente -, para intercalar um pensamento no texto, e dar tempo de o leitor, você, poder respirar melhor e oxigenar, com essas vírgulas e parágrafos, o cérebro, contribuindo para aumentar a concentração.

Os antigos acentos, como ocorria em "êle" para diferenciar da letra "L", tornaram-se desnecessários somente no século passado. Assim, alguns avanços lingüísticos possibilitaram que a balbúrdia da leitura em voz alta pudesse silenciar-se em maior concentração.

Para interromper a realidade mundana e viajar nas páginas dos livros, esse recolhimento pessoal e silencioso que propicia até mesmo um autoconhecimento, o aprimoramento estético ou gráfico dos livros e de seus materiais realmente incentivou a leitura. Entretanto, por ser muito caro o acesso aos livros (quem mais ganha são a distribuidora, a editora e a livraria), a idéia de disseminar livros em cestas básicas parece outra maneira de difundir o costume individual da leitura.

Com o mundo atual tão disperso em poluição sonora, o vislumbre de luzes e cenas, a TV, o som de vozes e músicas em filmes, constantemente vence o hábito discreto da leitura. A Câmara Brasileira do Livro e o Sindicato Nacional dos Editores de Livros fizeram uma pesquisa e constataram que as editoras brasileiras venderam mais livros: em 2004, foram mais de 300 milhões de exemplares (12,84% a mais do que a queda de 20,20% em 2003). Então, o brasileiro está lendo mais? Não! O BNDES, segundo o professor Antonio Borges, depois de intensa pesquisa, garantiu que a indústria editorial brasileira atravessa uma grave crise e, desde o Plano Real, as vendas de livros caíram pela metade. Um contra-senso, pois as editoras se multiplicaram, mas diversas livrarias estão fechando as portas. Em 2004, o Brasil contava com um número de livrarias que não chegava à metade do número de editoras.

Outro problema: existem muitos leitores de livros como Sabrina, esses romances de R$ 1,00, que alguns leitores julgam-se vorazes por uma grande quantia de livros já lidos. Além disso, a modernidade vazia do mundo faz com que leitores busquem nos livros alguns meios de melhorar a vida com a hipnose da auto-ajuda, ou os sensacionalistas, talvez os únicos filões ainda rentáveis.

Ler muito nunca foi ler bem. A literatura é um processo de descoberta. Ler é um processo qualitativo, essencial para a formação do ser humano. Muitas vezes os melhores livros não estão em listas dos mais vendidos, nem são fáceis de serem encontrados. Quem sabe se houvesse uma descoberta pelo prazer de mergulhar num bom texto, pela leitura literária analítica, nossa bagagem cultural diminuiria tantas picuinhas e tanto barulho aí de fora.

2354 visitas desde 23/08/2006

xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx

   
 
» Todos os artigos

» Listar autores


Copyright © 1999-2017 A Garganta da Serpente
Direitos reservados aos autores  •  Termos e condições  •  Fale Conosco www.gargantadaserpente.com