A Garganta da Serpente
Artigos Envenenados textos sobre literatura
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Gramática: nunca mais

(Hélio Consolaro)

Uma professora de Português, que leciona Gramática no ensino médio numa escola conceituada de Araçatuba, reclamava de seus alunos. Ela havia ensinado análise sintática, se desdobrado em sala de aula, conforme pede a apostila da escola, mas os alunos entregaram as provas em branco, não se empenharam em dar as respostas. Professor, aqui em Blumenau-SC, conheço alguns publicitários que utilizam nos anúncios criados por eles a abreviatura inglesa de horas sob a justificativa de que é permitido ao publicitário "fugir" das regras gramaticais em nome da objetividade.

Gostaria que o senhor me dissesse: estão certos os publicitários? Como abreviar horas nos anúncios? Existe algum livro sobre linguagem publicitária que admite "fugir" às regras gramaticais em nome da objetividade?

Aguardo uma resposta. Mais uma vez, obrigada pela atenção.

RESPOSTA: Abreviatura de horas em português se faz assim: 19h / 19h30 / 19h30min15s / sem usar ponto.

Isso você encontra no Manual de Redação do Estadão.

Não convém sacrificar o português em anúncio, pois pega mal para o produto. Também, não precisa levar isso a ferro e fogo. Por exemplo, se o anúncio for popular, pode usar "pra" e regência popular "assistir o filme". Depende muito do contexto do anúncio.

Na frase: Parabéns, Blumenau - nesse caso - precisa-se da vírgula se as duas palavras ficarem na mesma linha e na mesma cor, porque há um vocativo. Mas se colocar cada palavra num plano ou em cores diferentes, substitui-se a vírgula pela arte gráfica.

Não vejo nada de objetividade em usar a forma inglesa de abreviar horas, há, sim, subserviência cultural.

Tudo depende do bom senso.

  • 2764 visitas desde 8/04/2009
Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente