A Garganta da Serpente
Artigos Envenenados textos sobre literatura
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Conotação não é linguagem figurada

(Hélio Consolaro)

O significado de uma palavra tem duas partes: denotação e conotação. A primeira traz o sentido universal: "mesa" tem o mesmo sentido em todas as regiões do Brasil, por exemplo. Já a conotação engloba todas as demais informações adicionais veiculadas pela palavra, como a região, faixa etária em que é usada, se o discurso onde está inserida é formal ou o informal.

Exemplo dado pelo professor Cláudio Moreno: lábio e beiço. Elas são sinônimas na denotação, mas o segundo carrega uma forte conotação pejorativa. O significado conotativo é o significado contextualizado, o que a palavra adquiriu em sua trajetória espacial e temporal.

Os dicionários raramente indicam também as conotações das palavras. Se um estrangeiro escrever a sua namorada brasileira que ela tem os beiços doces, vai cometer uma indelicadeza. No livro Marília de Dirceu, Tomás Antônio Gonzaga usou beiço, mas naquela época esse uso era aceito. Cuidado: metáforas e metonímias, hipérboles, ironias, pleonasmos pertencem à linguagem figurada, e nada têm a ver com conotação. As pessoas confundem, acham que conotação e linguagem figurada são sinônimas.

  • 6256 visitas desde 28/04/2008
Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente