A Garganta da Serpente
ajuda
 
 
  versão para impressãorecomende esta página
Hélio Consolaro
saiba mais sobre o autor

Como surgem as palavras
(Hélio Consolaro)

A reportagem desta Folha, edição de sábado, sobre controle de zoonoses em Birigüi, registrou a palavra sinantrópico na seguinte construção: "controle de animais sinantrópicos".

Se o leitor procurar tal palavra no dicionário, não a encontrará porque é um neologismo. Usar palavras novas que ainda os dicionários não registraram não é erro. Aliás, o mundo científico prima por criar novas palavras tendo como referência o grego e o latim, dois idiomas formadores do português. Isso é bom porque valoriza os componentes da própria língua, como aconteceu com camelódromo.

Os agentes da informática não fazem isso, importam equipamentos e as palavras, sem se preocupar se há termos similares no português. Além disso, não fazem nenhuma adaptação delas, promovendo uma invasão de estrangeirismos.

Nada a condenar quanto à importação de palavras de outros idiomas. A importação é uma forma de ampliar o léxico português, desde que não haja uma outra correspondente em nosso vocabulário. Mas temos de admitir que nem sempre a dinâmica dos fatos acontece conforme a vontade dos gramáticos.

Nesse caso, conviver com o estrangeirismo é uma necessidade de uma cultura com baixa auto-estima. O aportuguesamento de palavras estrangeiras é a atitude mais inteligente, mas nem sempre encontra eco, principalmente entre os publicitários que preferem shampoo a xampu, porque a primeira forma dá mais status ao produto, pois pertence ao idioma referência (o inglês).

Voltando ao assunto principal, animais sinantrópicos são espécies que, indesejavelmente, coabitam com o homem, tais como: roedores, baratas, moscas, pernilongos, pulgas, morcegos hematófagos, pombos e outros.

Eis a composição da palavra: sin + antrop + ico. Sin é um radical grego e quer dizer reunião, ação conjunta, está presente também em sinestesia (sensações conjuntas); antrop é radical grego e significa homem, ser humano; ico é sufixo grego e tem o sentido de estabelecer relação.

2422 visitas desde 29/02/2008

xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx

   
 
» Todos os artigos

» Listar autores


Copyright © 1999-2017 A Garganta da Serpente
Direitos reservados aos autores  •  Termos e condições  •  Fale Conosco www.gargantadaserpente.com