A Garganta da Serpente
ajuda
 
 
 
  versão para impressãorecomende esta página
Artur da Távola
saiba mais sobre o autor

A crônica e seu vasto mundo
(Artur da Távola)

A crônica, como a provar a inexistência de limites para a sua classificação, envereda com amplitude e liberdade pelo terreno da descrição, da narração, da reflexão ou do episódio cotidiano. Essa modalidade jornalístico-literária ou lítero-jornalística, que fez a glória de Baudelaire a Álvaro Moreyra e Rubem Braga, é uma forma contemporânea de filosofar através do devaneio, (essa instância deliciosa e sonsa) do qual a crônica se aproveita para ser profunda a fingir que é irrelevante...

Abandona os grandes assuntos e aprofunda a relação do artista escritor com os fatos de aparência corriqueira, descobrindo-lhes a graça, a poesia, o inusitado, o valoroso. A analogia, aqui, pode ser feita com o movimento impressionista na pintura quando desobrigou-se dos temas grandiosos para fixar-se em flagrantes expressivos da densidade poética assumida pela relação entre a luz, os objetos e as pessoas, segundo o acaso. Para tal concepção não importa propriamente a vista mas a visão do artista.

Sua narrativa torna-se, por isso mesmo, próxima a desenvolvimentos relacionados com a prosa poética, o texto curto, a poesia em prosa, a crônica pura e simples, o pequeno conto ou a narrativa fatual despretensiosa. Em suma, modalidades várias, um não limite. A crônica não é crônica: é aguda...

Literatura jornalística ou jornalismo literário, é gênero de difícil classificação mas real e presente tanto na história da literatura quanto na da imprensa. Não tem prestígio: tem leitores.

A dificuldade de sua elaboração está na razão inversa da facilidade de sua leitura. Daí a sutileza de seu império: ser serva. Servir. Vir a ser. Vir. Ver. Virver.

2911 visitas desde 6/11/2007

xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx

   
 
Últimos artigos:

Livros e sebos
(Artur da Távola)

A poesia como ponto de partida
(Lau Siqueira)

Vamos Falar de Poetas
(Marcial Salaverry)

Pontuação e separação de versos na poesia (Dalva Agne Lynch)

A Feira do Livro de Porto Alegre entre os interesses do mercado e os da sociedade
(Lau Siqueira)

A arte de não ler (Hélio Consolaro)


» Todos os artigos

» Listar autores


Copyright © 1999-2010 A Garganta da Serpente
Direitos reservados aos autores  •  Termos e condições  •  Fale Conosco www.gargantadaserpente.com