A Garganta da Serpente
ajuda
 
 
 
  versão para impressãorecomende esta página
Artur da Távola
saiba mais sobre o autor

Quem escreve
(Artur da Távola)

Jovem estudante consulta-me sobre seus escritos. Dou-lhe esta resposta:

Você tem vocação para escrever? Então não consulte ninguém por ora. Leia. Leia. Leia. Escreva em solidão, dê curso ao fluxo interior. A correção virá depois. A gente começa a escrever para exorcizar os próprios fantasmas. Só depois descobre a literatura. Mas em uma etapa não há a outra. Não se apresse. A pressa é inimiga da velocidade e a angústia é a matéria prima do escritor. Inclusive a angústia sobre o próprio talento. Perdê-la é secar a fonte. Mantê-la, incomoda mas impulsiona. Prossiga. E deixe a etapa crítica para depois.

Depois de o texto escrito dormir, acordá-lo. Faça-o, porém, lentamente. É deixá-lo espreguiçar-se e só então, pedindo-lhe licença, começar a correção. Várias vezes. Vários dias, se possível. Anos será melhor.

Escritor é excretor. Excreta o texto. Depois deve ser leitor implacável. O primeiro movimento vai do excretor para o papel. Depois deve provir papel para o leitor. Aqui, excretor e leitor são a mesma pessoa: o escritor. Este é a síntese da briga dos dois. Nessa etapa, deve-se deixar o leitor, implacável, vencer o escritor. E ouvir as críticas de si mesmo como leitor para só depois voltar a ser escritor no momento de aprimorar o texto. Por isso ler os outros, ler, ler, ler é fundamental. Só quem sabe ler (os textos próprios e os alheios) saberá escrever. Isso se conseguir escrever sem o fazer como os escritores a quem admira.

Em suma: escrever é difícil, sacrificado, exige anos. Se depois de tudo isso (e das dores nas costas que a posição acarreta) alguém ainda gostar de escrever, então sim: após muitos anos será um escritor.

2017 visitas desde 29/08/2007

xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx xxx

   
 
Últimos artigos:

Livros e sebos
(Artur da Távola)

A poesia como ponto de partida
(Lau Siqueira)

Vamos Falar de Poetas
(Marcial Salaverry)

Pontuação e separação de versos na poesia (Dalva Agne Lynch)

A Feira do Livro de Porto Alegre entre os interesses do mercado e os da sociedade
(Lau Siqueira)

A arte de não ler (Hélio Consolaro)


» Todos os artigos

» Listar autores


Copyright © 1999-2010 A Garganta da Serpente
Direitos reservados aos autores  •  Termos e condições  •  Fale Conosco www.gargantadaserpente.com