A Garganta da Serpente
Artigos Envenenados textos sobre literatura
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

O Escrever e o Ser do Poeta

(Armando Sousa)

O ser do poeta, normalmente tem doçura no pensar, quer paz e amor, não pensa em ludibriar, quer ver a natureza com cor, água límpida nos riachos a correr.

Quantas vezes deliram ao ver crianças em poças de água a saltar.

Um verdadeiro poeta, ama ler a verdade dos colegas em poesia, gosta de sentir um inédito pensamento, que não magoe, uma inédita anedota que entre no coração e o encha de alegria.

Um verdadeiro poeta, não é um repassador de santinhos, nem acredita em imagens desenhadas pelo homem, para o fazer seus semelhantes tremer de emoção.

Durante estes milhares ou milhões de anos da humanidade o poeta sabe quantas religiões já se formariam, baseadas no interesse de se mostrar superior.

Certos homens foram e são superiores, mas nunca foram deuses.

São génios da humanidade.

Hoje em dia existem diversas religiões, todas se afirmando serem verdadeiras.

Mas o poeta verdadeiro não sabe chamar mentiroso, ao mundo que não acredita no que ele possa acreditar.

O poeta verdadeiro acredita num ser verdadeiramente superior, que governa esta infinidade do universo, não sabe como... mas por isso o poeta e amor, procura descrever a verdade sem intrigas... mas nunca acredita nessas imagens pintadas de sofrimento ou de bondade, que circulam por aí, com palavras de castigos e medos...

Verdade, o poeta compreende que esses repassadores de mantras ou bruxedos, eles mesmos querem fazer acreditar nisso para seu benefício.

No meu tempo de criança via muitos cegos, cegos mesmo... hoje vejo muitos que cegaram a ver, a ver.

Nisso, não existem milagres, mas ciência, mas existe neste mundo muita ciência, que é maliciosa e egoísta. Dessa ciência nascem guerras, miséria, destruição, deste delicioso jardim.

Todo o país precisa de verdadeiros poetas que não têm medo de descrever o que está errado, não têm medo de denunciar o prevaricador, e testemunhar para sua condenação.

Se os verdadeiros poetas em que o povo acredita, forem corruptos, o país apodrece na corrupção, deixando as religiões encherem cofres, mentindo, e defendendo um governo que os deixa mentir.

Poetar não e só descrever uma noite de gozo, de amor verdadeiro, nisso o poeta e mais secreto.

O poeta ama falar de como e bom ter liberdade, quando esta e ganha com a verdade, com trabalho e amor.

Ama falar da mulher que em muitos países usa a cobardia e fingimento para sobreviver.

O poeta odeia religiões que escravizam a mulher

O verdadeiro poeta ama a beleza feminina, e ama ver sempre a mulher feminina.

Ama as flores, e um universo verdadeiramente limpo

Ama a família, e ama muito as verdadeiras amizades.

Um verdadeiro poeta não folheia o dicionário a procura de palavras difíceis de compreender, tudo para se salientar.

O verdadeiro poeta procura a simplicidade para que mesmo os menos instruídos possam compreender como é bela a poesia.

  • 2200 visitas desde 11/10/2007
Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente