A Garganta da Serpente
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

LINDA SÃO PAULO

Linda São Paulo, cálido abrigo
Tu me adotaste nos meus verdes anos
Teu coração que é acalanto e graça
não desfeiteia cor, crença ou raça
Cada bairro teu é um abraço amigo

Linda São Paulo, de paisagem insana
Um dia me vi em meio aos teus caminhos
Olhos de menina, tudo me encantava
No seio da família, do interior chegava
Atravessando o Bairro de Santana

Linda São Paulo, és rainha e deusa
Senti arrepios ao ver os teus segredos
O Carandiru do Medo ainda existia...
Pela Ataliba Leonel, avenida tortuosa
fomos adentrando a Parada Inglesa

Tua rua Nelson foi meu porto seguro
Nosso “Casarão”, a primeira morada
Cine Sol, carnavais, amores à sorte
Lembra-me os domingos da tua zona norte
Teu Horto Florestal de mentolado ar puro

Linda São Paulo, que um dia me mostraste
a hora de conhecer teus outros filhos
Bairro de Pinheiros, paixão incandescente
De belos arvoredos e largas avenidas
Em seu doce regaço, viveria eternamente.

Teodoro Sampaio de sábados ensolarados
De ida às compras como a um passeio
Benedito Calixto, praça cultural
Lojas de móveis, atração nupcial
Barzinhos noturnos de calçadas cheias

Minha encantadora Simão Álvares
Quão feliz fui em teus braços
Plena de amor, orgulhosa, declaro
Superaste as mais belas lembranças
que tenho de ti, minha linda São Paulo!



Dorcila Garcia

(Paulista de Catanduva, viveu em São Paulo por mais de 20 anos no bairro de Pinheiros. Considera-se paulistana. Mudou-se para Itapetininga-SP em 2001, mas sua grande paixão continua sendo a Cidade de São Paulo.)
postado em 06/3/04
Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente
http://www.gargantadaserpente.com