A Garganta da Serpente
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

lonjuras


LONJURAS


Quero a fonte da mais bela
Em seu regaço dormitar
Quero o belo da megera
De guirlandas no altar

Quero em mim toda quimera
Ana bela eu não te esqueço
Tanto amor no peito gera
A dor na qual desfaleço

Atormenta-me a lonjura
Quando a saudade madura
Verdascando o coração

É algoz o meu destino
Na fonte do desatino
Sorvo só desilusão



gilsanjes

postado em 27/6/06
Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente
http://www.gargantadaserpente.com