A Garganta da Serpente
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

lagrimas minhas

Lágrimas que surgem
dos olhos meus
o sal que apura
o triste adeus
o liquido dos meus
e dos olhos teus
infinito sabor teu
a comparar-te com a vida
que me foi incultada
e a levo lavando
com teu sangue
diáfano
minhas lágrimas
que choram
mas nao mais
do que eu.



thiago conceiçao

(estancia,sergipe)
postado em 02/2/06
Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente
http://www.gargantadaserpente.com