A Garganta da Serpente
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

MENINO DE RUA

- Ei, moço! me dá um futuro...
- Não sei; futuro anda escasso.
-Ei, tia! me arranja respeito...
- Pôxa, acabei de jogar fora o último pedaço.
“Deixa para outra vez?”
- Ei, motorista! O senhor tem um carinho?
- Ah, eu acho que deixei em casa...
“Vê se você não acha pelo caminho”
- Espera aí, seu guarda! O senhor
pode me arrumar uma esmolinha?
- Não, não! Nem dinheiro nem amor...
“Agora, circulando ô trombadinha!”.
- Oba, o sinaL fechou... moça!
a senhora compra dez balas de uva?
é só um Real... eu tô com fome.
- Garoto: não posso...e olha a chuva...
- Por favor, tio: me dá esperança.
- Humm... acho que perdi no ônibus,

mas amanhã te dou uma... prometo.
- Tudo bem... ei, seu Plano Político!
o senhor pode me oferecer outro país?
- Sim, mas somente na campanha eleitoral...
“Agora, dá um tempo que estou ocupado!”
- Que droga... ninguém me ouve.
mas, eu não vou desistir: ei!ei!
- O que você quer, menino?
- Só queria da senhora um pouco de sonho...
- Toma dez centavos e segue seu destino.
- Mas, moça: eu quero é cidadania...
- É... mas isso acabou, não sabia?

“E O GAROTO QUE PEDIA, MORREU QUANDO DECIDIU ROUBAR”




Samuel souza lima

(carioca)
postado em 24/4/06
Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente
http://www.gargantadaserpente.com