A Garganta da Serpente
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Quadrinhas da vida

Quem senta chorando mágoas
onde corre a cachoeira,
lá consigo arrasta as águas
mesmo que a água não queira.

Vai levando, pingo a pingo,
retalhos de pensamento
e costura ponto a ponto
os trapos que são lamentos.

Quebrando da roupa a linha
que laços de vida são,
pedaços da vida minha,
os cegos nós que se dão!

Quando se tocam as linhas
vida, destino, coração,
a palma bem fechadinha
nunca mostra a da razão.

Por certo esta não convém,
talvez por medo, seria ?
É que ninguém obtém
a razão com sabedoria.

G. Chaplin FRC



Golbery Chaplin

(Paulista, vive em Rio Grande)
postado em 28/2/06
Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente
http://www.gargantadaserpente.com