A Garganta da Serpente
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Cores de São Paulo

Das cores
do pobre pombo que morre na periferia
Prefiro tuas cores São Paulo
tuas cores definitivas
Quem sabe as cores de Teresa Viana...
As cores nascem
As cores perguntam
As cores silenciam
o teu pecado, o teu abismo, o teu cinismo, o teu charme, a tua voz.

Das cores
do pobre pombo que vive na periferia
Prefiro tuas cores São Paulo
tuas cores definitivas
Quem sabe as cores...
As cores acreditam
As cores amam
As cores silenciam
a tua sorte, a tua angústia,
a tua necessidade, a tua jogada,
o teu sonho.

Cores de São Paulo,
a paz de quadros pendurados.



Douglas Fagundes Murta

(Rio de Janeiro)
postado em 30/6/06
Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente
http://www.gargantadaserpente.com