A Garganta da Serpente
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

'AnnA BellA'

‘Anna, Bella’

Anna Bella
nasceu numa rua esquina da calçada suja
Em pilhas de jornais rasgados
sem notícias novas

Todos os dias a qualquer hora
Manhãs noites frias quentes

Anna Bella,
teve mãe 9 meses da barriga
Anna Bella
não viu olhos inundados maternos de alegria

Anna Bella só era mais um número pra estatística
Anna Bella,
duas horas de idade
É a sua única curta vida

Anna Bella não teve infância nem brinquedos
Alegrias ou medos
Não teve um lar
Nem os pais por um dia em canções de ninar
Não teve festas aniversários felizes
Não teve em escolas
Sem passado futuro ausente
Não teve amigos queridos por ela
nas duras horas
Nunca esteve num amor de abraço quente

Anna Bella,
não teve uma chance
Não teve escolha
E não soube do amor
num brilho dos olhos humanos

Anna Bella,
é uma criança que não é problema de ninguém ou nosso q,
no mundo morre a cada segundo

Anna Bella,
poderia ter sido eu ou você.


(Alessandro Leitão)



Alessandro Leitão

(Porto Alegrense que mora em Araquari/SC)
postado em 29/8/06
Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente
http://www.gargantadaserpente.com