A Garganta da Serpente
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Desaparecida

Ananta Medrado
psicanalista que conheci num romance de Lygia
sumiu-se do seu apartamento em São Paulo

Foi golpe de bandido
foi violação
diz-se
até que não era mocinha para se deitar fora
trinta e um anos e virgem
estupro
seguido de estrangulamento
diz-se

Agora mesmo
o corpo pode estar
a apodrecer
numa cloaca da grande cidade
Ninguém dará por ele
tanta e tamanha a maldade dos cheiros
encobrindo-se uns aos outros
não há cachorro que atine
por mais treinado que seja
Podem rir mas eu acho
que todos os cheiros maus são malignamente solidários
entre si

Faz tempo
que a delegacia das
pessoas desaparecidas
anda a trabalhar no caso
a rotina de quem conhece
o hálito de todos os crimes
e sem descobrir este

Mas Rosa
a protagonista
diva que pisou os palcos da glória
por sinal paciente de Ananta
não acredita em crime
Diz que a mocinha anda sumida
a domar simplesmente
o cavalo bravo do desejo
Trinta e um anos e virgem
já era tempo

Obrigado Rosa
por essa fresta de esperança
que nos traz
Beijos para si e uma festa ao gato
Obrigado
Apetece-me até
declinar o seu nome
Rosa Rosae
Um beijo para si
aí em São Paulo



Manuel Matos Nunes

(Português de Lisboa)
postado em 15/7/06
Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente
http://www.gargantadaserpente.com