A Garganta da Serpente
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Sampa em versos

Aos quatrocentos e cinqüenta anos,
Sou uma anciã respeitável
E a cada dia recebo
Uma multidão incontável.

Em meu terminal rodoviário,
Desembarcam a todo instante,
Vindos de todos os pontos,
Centenas de migrantes.

Reclamam que não trato bem
A criança, o velho, o operário,
Que não ofereço a quem chega
Moradia, lazer e salário.

Que sou feita só de concreto,
Com edifícios em demasia,
Que meu verde é muito escasso
E não há lugar para fantasias.

Que em minhas ruas há violência,
Nelas trombadinhas e ladrões
Roubam pessoas, bancos, automóveis,
Destruindo as ilusões.

Sou acusada, enfim,
De ser uma metrópole desumana,
Onde se corre para ganhar dinheiro,
Não se vive, não se ama.

Mas calada, em meu silêncio,
Vítima de denúncias e reclamações,
Me revolto inconformada
Com tantas acusações.

Todos que vêm a mim
Têm sonhos, têm ideal,
Esperam por dias melhores,
Por isso deixam a terra natal.

Mas ninguém, em nenhum momento,
Pensa se eu, realmente,
Tenho capacidade
Para alojar toda essa gente.

Eu nasci há muito tempo,
Sem planejar que seria
Essa enorme cidade
Trabalhando noite e dia.

E agora é minha a culpa
Pela pobreza e carência?
Pela falta de comida,
De transporte e de assistência?

Parem com isso, pensem um pouco!
Eu sou uma simples cidade,
Não é justo atribuir a mim
O peso dessa responsabilidade.

Ao contrário, também sou vítima
Do poder e da vontade
De políticos, empresários, técnicos,
E de várias outras “autoridades” ...

Capital do trabalho e da cultura,
Tenho belos teatros, ótimos restaurantes,
Igrejas, shoppings e parques
E monumentos importantes.

Procurem me compreender,
Brasileiros, paulistas e paulistanos!
Sou dentre tantas cidades,
A maior do continente sul-americano.

Meu nome é São Paulo,
Tema de músicas e poemas.
É por causa da minha grandeza,
Que também grandes são os meus problemas.



Cleomar Bressane Cruz Alves

(Mineira, que mudou para Campinas em 1971 e, ao visitar São Paulo pela primeira vez, em 1972, ficou maravilhada com a grandeza da cidade.)
postado em 09/1/04
Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente
http://www.gargantadaserpente.com