A Garganta da Serpente
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

SÃO TODOS PAULOS

Gente rica, gente pobre
Pobre no abrigo, rico no salto
Pobre pobre, rico nobre...
Desce a Ladeira, sobe a Vinte e Cinco
Água dos Jardins, engrandece a telha de zinco
Chora Menino, de tão rica é a Paulista
Quão bem quista, faz tantos ricos.
Tantas Marias, tantos Narcisos, tantos Paulos
Gente feliz, gente triste, fonte de abaulos
Nada de enchentes e rios dementes
Nada de desastres e sangue, vertentes
É metrópole, é São Paulo
É cidade, é a casa da gente.



Isabel Aparecida Figueira Brum

(Paulista (Taubaté), apaixonada por São Paulo)
postado em 28/1/04
Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente
http://www.gargantadaserpente.com