A Garganta da Serpente
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Alguém que eu amo...

(À minha amiga Ana Luisa)

Na grande metrópole brasileira,
Onde o asfalto,
Que sempre convivi se impõe,
Existe alguém que eu amo...

Os carros buzinam, as pessoas falam,
A balbúrdia é rotineira e conhecida,
Recordando-me o barulho em que cresci,
E lá mora alguém que eu amo...

Vejo-me ainda pequenina,
Passo pela avenida Nove de Julho,
Lugar que me abriguei em férias,
E lembro-me de alguém que eu amo.

Em São Paulo, cidade querida,
Por vezes centro de minhas distrações,
Lugar que jamais olvidarei,
Mora alguém que eu amo...

Na maior cidade de meu país,
Onde o progresso lançou suas bases,
Fruto de um povo empreendedor,
Mora alguém que eu amo...

Ela é a amiga que encontrei um dia,
Escolha fraterna que Deus me concedeu,
Parceira de ideais e irmã que meu espírito,
Acolheu com ternura e imorredouro carinho,
Talentosa paulista que eu admiro e amo...

Ela é exemplo de doçura e meiguice,
Compreende-me nos momentos difíceis,
E nossos ideais se confundem...
Ana Luísa Peluso, minha irmã
É alguém que eu amo...



Vânia Moreira Diniz

postado em 18/1/04
Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente
http://www.gargantadaserpente.com