A Garganta da Serpente
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Tempo de Nascer

Agora é tempo de nascer outra vez.
Dizer o que não foi dito, fazer o que não foi feito.
Amolecer toda solidez, de uma só vez
Desarmar essa dor dentro do peito.

Não se pode mais conter o choro
de uma criança que acaba de nascer.
É difícil curar as feridas de quem ainda se julga um bebê.

Agora é tempo de aprender a andar
descansar os joelhos doloridos.
por mais que seja preciso se apoiar
para enfrentar esses dias sofridos.

Tempo agora de pegar sozinho
no que nunca outrora encostou a mão.
De trilhar seu próprio caminho
sem que seja preciso engolir um sermão.

É chegada a hora da guerra e
os inimigos, algozes. querem matar.
Mas digno é, pôr as mãos na terra
do que passar a vida toda a medingar.

Não mais é preciso seguir avante, os passos contrários à natureza.
Cobrir-se inteiro de mentiras, que jamais levarão a prosperidade.
Agora tudo que resta, tudo que há é a mais pura beleza.
Todo sentimento se resume apenas em uma só palavra...
...LIBERDADE.




Josie Mendonça

(Carioca e vive em São José dos Campos.)
postado em 14/10/04
Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente
http://www.gargantadaserpente.com